Colunistas Pr. Antonio Mardonio

Nova Era, uma Farsa do Diabo

Muitos imaginam que a Nova Era trará a solução para todos os problemas da humanidade, pois não sabem que as propostas apresentadas pelos patrocinadores desta doutrina constituem uma farsa de Satanás, o qual se prepara para se apossar, através do Anticristo e o Falso Profeta, do governo humano, após o Arrebatamento da Igreja. Apresentamos neste artigo muitas informações que nos esclarecerão em que situação o mundo já se encontra para receber a trindade satânica e diversas declarações de eminentes autoridades mundiais, cônscias deste acontecimento que se aproxima celeremente.

       A Nova Era e a Globalização

Globalização é a palavra que está em voga na atualidade. Este é o propósito dos patrocinadores da Nova Era: globalizar a economia, a religião, a política, etc. para alcançar a tão almejada Nova Ordem Mundial. Se você observar o verso da nota de um dólar verá a insígnia do triângulo luciférico que desde 1933 faz parte da estampa desta cédula norte-americana. Também se encontram registradas três palavras latinas: NOVUS ORDO SECULORUM (A Nova Ordem Mundial dos Séculos). São seis os seus objetivos:

1. Estabelecer uma nova ordem econômica internacional, unificada sob o controle direto de uma junta mundial. É a globalização da economia em que as portas alfandegárias são abertas para diversos países de uma determinada região, com o objetivo de facilitar o livre comércio entre as nações. Temos como exemplo o Mercado Comum Europeu e o Merco Sul, além dos que estão em formação ou ampliação.

2. Estabelecer o que será, aparentemente, um governo democrático único mundial, mas que, na realidade, estará sob o total controle do Anticristo. É a globalização dos partidos políticos quando todas as nações estarão sob a égide de um único mandatário, que nós muito bem sabemos ser a primeira Besta.

3. Conquistar e sujeitar por meios econômicos as duas superpotências bélicas: Estados Unidos da América e Rússia. É a globalização dos principais armamentos mundiais, com o propósito de se ter o total controle sobre as armas químicas e atômicas da Terra.

4. Estabelecer os vindouros Estados Unidos da Europa, na qualidade de nação dominante de um governo único mundial. É a globalização dos países da Europa Ocidental, com o propósito de fazer surgir o Império Romano, cuja sede será provavelmente Roma, como foi nos dias dos césares.

5. Fazer surgir um dirigente supremo, que presidirá o governo único, mundial. É a globalização das consciências humanas, para que todos aceitem de bom grado, após o Arrebatamento da Igreja, a manifestação e a autoridade do Anticristo.

6. Estabelecer uma só religião mundial que coordenará todas as seitas da Terra sob o controle de um sumo pontífice, paralelo ao supremo dirigente político mundial. É a globalização de todas as religiões em uma só que surgirá após a vinda de Cristo. Ela será regida pelo Falso Profeta, o braço direito do Anticristo e o instrumento do Diabo para enganar as nações.

       O que pretendem os patrocinadores da Nova Era?

“A qualquer momento em que houver tensão internacional ou um colapso financeiro, no espaço de uma hora, o governo central assume o controle de:

Todos os meios de comunicação; áreas de eletricidade, petróleo e combustível; todas as fazendas e suprimentos alimentícios; todas as áreas de saúde, educação e bem-estar social; todos os cidadãos que serão registrados com um número de identificação (na testa ou na mão direita); todos os aeroportos e toda aviação; todo setor de financiamento habitacional; todas as ferrovias e rodovias; todos os cursos de água doce navegáveis; todos os dispositivos de armazenagem de bens de consumo público, etc.”.

E tudo isso acontecerá em nome da globalização que nós, inocentemente, temos inclusive aprovado.

       O que a Bíblia informa-nos a respeito disso?

Os que leem a Bíblia sabem que estes organizadores cumprem o que está escrito no capítulo 13 do Apocalipse com uma precisão surpreendente e estonteante precisão: “Vi emergir do mar (dentro das nações) uma besta (o Anticristo), que tinha dez chifres (dez regiões mundiais em que a América Latina é uma delas) e sete cabeças (cada uma delas representa um governo mundial) e, sobre os chifres, dez diademas e, sobre as cabeças, nomes de blasfêmia” (Ap 13.1).

Na verdade, o Clube de Roma, uma das mais poderosas organizações da Nova Era, já dividiu o mundo em dez regiões: 1. Canadá, Estados Unidos da América e México; 2. Europa Ocidental; 3; Japão; 4. Austrália e Nova Zelândia; 5. Europa Oriental; 6. América Latina; 7. África do Norte e Oriente Médio; 8. África Principal; 9. Sul e Sudeste da Ásia; 10. Ásia Central.

As sete cabeças do Apocalipse 13.1 representam os seguintes impérios:

1. Egípcio; 2. Assírio; 3. Babilônico; 4. Medo-persa; 5. Grego; 6. Romano; 7. A Nova Ordem Mundial.

Esta Nova Ordem Mundial será o ressurgimento do Império Romano. Na Nova Roma, capital do governo central, será decretada a adoração ao imperador, assim como aconteceu no passado com referência aos césares. Na Nova Babilônia novamente se decretará a adoração a Lúcifer, conforme se lê no Apocalipse 13.4: (…) e adoraram o dragão (Satanás) porque deu a sua autoridade à besta (o Anticristo); também adoraram a besta, dizendo: Quem é semelhante à besta? Quem pode pelejar contra ela?”

Robert Miller, ex-subsecretário das Nações Unidas, afirmou que seu “guia espiritual” revelou-lhe a possibilidade de que em breve toda a humanidade adorará o Cristo Cósmico (o Anticristo), o qual estará no trono do mundo.

Os adeptos da Nova Era planejam, deliberadamente, fazer com que entre em colapso o sistema monetário internacional, pois no caos e na confusão pretendem introduzir uma NOVA ORDEM ECONÔMICA MUNDIAL, na qual todo o dinheiro existente na atualidade tornar-se-á obsoleto e todas as transações comerciais realizar-se-ão através de marcas. No centro do código ou emblema secreto, haverá um número esotérico correspondente ao valor numérico 666.

Continua…

Pr. Antonio Mardonio

Pr. Antonio Mardonio

Antonio Mardonio Nogueira Vieira, pastor, jornalista, teólogo (estudou nos seminários católicos da ordem dos padres diocesanos nas cidades do Crato/CE e Fortaleza/CE), colunista, ex-comentarista da EBD (CPAD), coautor da História das Assembleias de Deus no Brasil publicada em 1981 (quando a denominação completou 70 anos), ex-chefe dos departamentos de Livros e de Escola Dominical da CPAD, ex-coordenador do CAPED, formado em Letras e Pedagogia, ex-diretor pedagógico da FAESP, atual pastor do Setor na Vila Formosa, São Paulo/SP, ex-presidente da AD em Mogi Guaçu/SP, ex-dirigente dos setores em Santana de Parnaíba/SP, São Bernardo do Campo/SP, Cajamar/SP, Embu Guaçu/SP, todos pertencentes ao Ministério do Belém, 1º vice-diretor e editor- chefe do Ceifeiros em Chamas.